Biblioteca

A biblioteca

Um grande acervo predominante jurídico, que inclui títulos econômicos e financeiros e foi doado pelo advogado e jornalista Vicente de Carvalho, deu origem à biblioteca da Associação Comercial de São Paulo em 1924, batizada em sua homenagem.

Com a inauguração do Instituto de Economia Gastão Vidigal, em 1944, uma nova biblioteca especializada nesta área ganhou corpo: à medida que o estudo da ciência econômica se desenvolvia e o próprio Instituto dinamizava suas atividades, o acervo cresceu, em tamanho e importância.

Em 1991, essas duas bibliotecas setoriais e especializadas foram fundidas, dando origem à recente Biblioteca da Associação Comercial de São Paulo.

Nascida com a finalidade de fornecer suporte aos nossos departamentos técnicos, somou-se a ela o Centro de Preservação da Memória Institucional, que passou a atender também consultas de associados, estudantes e pesquisadores - inclusive externos, e em especial graduandos e pós-graduandos em suas áreas de especialidade.

Além de livros e revistas das áreas de Economia, Direito, Administração de Empresas, Ciência Política e Comércio Exterior, a biblioteca apresenta, de forma organizada, a história mais do que secular da ACSP, que abrange todas as atas da Diretoria desde sua fundação, passando pela coleção completa da Revista Digesto Econômico, editada pela ACSP desde 1944, até o periódico Diário do Comércio, do primeiro número à última edição impressa. Desde novembro de 2014, o jornal é veiculado de forma on-line.

A biblioteca da ACSP está vinculada à Superintendência de Relações Institucionais. Hoje, seu acervo, que conta em detalhes a história do comércio da cidade de São Paulo em textos e imagens, está sendo digitalizado.

Consulta de livros e documentos:

A consulta local aos livros e documentos é permitida a qualquer interessado.

Acesse aqui para pesquisar o acervo da biblioteca da ACSP

Informações:

E-mail:
Tel: (11) 3180-3433
Fax: (11) 3180-4113

Digesto Econômico

A revista Digesto Econômico, lançada pela Associação Comercial de São Paulo em 1944, foi um espaço para especialistas dissertarem sobre os aspectos sociais, políticos e econômicos do Brasil e do mundo. Ela foi distribuída até 2014.

Em seis edições especiais publicadas em 2010, que juntas somavam mais de 600 páginas, a Digesto apresentava propostas elaboradas por economistas, tributaristas e cientistas políticos renomados para subsidiar as plataformas eleitorais dos candidatos à presidência da república, aos quais foi encaminhada um exemplar da revista.

A publicação teve diversas periodicidades e ao longo de sua história teve 479 edições impressas.

Edições anteriores